Madereira Portal
Auto Peças
Blog Ecos Deodorense

Blog Ecos Deodorense

É um criação do professor e historiador deodorense Sebastião Heleno, exímio conhecedor da cultura alagoana e brasileira.

Proclamação da República

Ilustração.

No mês de novembro comemoramos a maior festa cívica do nosso Brasil: a Proclamação da República Brasileira, fato histórico de grande importância para os alagoanos e mais importante para nós, nascidos no município de Marechal Deodoro, terra do Proclamador da República.Esse acontecimento se deu da seguinte maneira: Marechal Deodoro da Fonseca após fazer as manobras militares, juntamente com os lideres do movimento republicano Benjamin Constant, Mena Barreto, Quintino Bocaiuva, Pedro Paulino e Sólon Ribeiro, em frente ao Quartel General no Campo de Santana onde se encontrava todo ministério imperial. Deodoro,juntamente com suas tropas avançou e invadiu o prédio. Chegando ao gabinete dos Ministros, diz a Ouro Preto: “Vossa excelência, Senhor Visconde, e todos seus colegas estão demitidos! O senhor não sabe o que significa a palavra patriotismo. O ministério está deposto e podem se retirar, exceto o Senhor, que é um homem muito teimoso,que será preso e deportado.”

No lado de fora do Quartel o povo aguardava Deodoro. O Major Sólon Ribeiro diz ao mesmo após sua saída.“Marechal! O Exército não deve sair daqui sem antes o senhor proclamar a República!”. Então Deodoro, altivo e imponente, tirou o quepe de sua cabeça e agitou no ar, dizendo: “Viva a República Brasileira!” sendo aclamado pela multidão.

Bastidores da República

Deodoro chegou ao Pátio da Aclamação juntamente com Clodoaldo da Fonseca, na manhã do dia 15 de novembro de charrete, e não de carro (como dizem alguns historiadores), pois o primeiro carro existente no Brasil,de propriedadede Alberto Santos Drummond, o “pai da aviação”, chegou apenas em 1891,portanto,dois anos apósaProclamação da República.

Deodoro não usou espada na hora da entrada ao Quartel General no Campo de Santana, pois seu sobrinho Clodoaldo da Fonseca lhe ofereceu sua espada dizendo: “Tio! O senhor esqueceu sua espada!”. E Deodoro respondeu: “Para enfrentar os Casacas (membros civis do Império) basta minha honra e a força do Exército Brasileiro.”

Quanto a Floriano Peixoto, que era general e responsável pela guarniçãoque defendia o ministério, Deodoro era marechal e a hierarquia militar prevaleceu havendo o seguinte dialogo:

Deodoro – “Não me prestas continência, General Floriano?”

Floriano – Respondendo com a continência. E aderindo ao movimento, disse:“Não só presto, como estou ao seu lado para mostrar nossa origem e o que é o Exercito Brasileiro.”

 

2 Comentários

  1. Sebastião Heleno disse:

    Meu amigo Pipa,
    Quero parabeniza-lo pelo interesse dos acontecimentos históricos do nosso Brasil e particularmente da nossa velha Alagoas, hoje município de Marechal Deodoro denominada em 09 de novembro de 1939 pelo Governador Fernandes Lima. Agradeço-lhe o reconhecimento do meu trabalho em divulgar e resgatar a nossa história. informo-lhe que em breve com o apoio do Prefeito Cacau, estaremos em todas Escolas do nosso município, divulgando através de palestras o meu projeto “MARECHAL DEODORO SUA HISTÓRIA E SUA GENTE ” e com isso estendendo ao o estudante e professores a oportunidade de conhecer com mais profundidade o assunto.

  2. Pipa disse:

    Muito bem meu amigo Sebastião Heleno! Sempre trazendo fatos importantes com os mínimos detalhes que nos interessa muito. Parabéns meu amigo!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marechal Notícias