Madereira Portal
Auto Peças

Estudo aponta que Alagoas ocupa o segundo lugar em solidez fiscal no Brasil

Governador afirma que Estado avança em competitividade porque finanças estão equilibradas

No quesito Solidez Fiscal, Alagoas teve o seu melhor desempenho: saltou da 23ª posição para ocupar o 2º lugar no ranking nacional, atrás apenas do Ceará. Para o governador Renan Filho, o Estado avança em competitividade em meio à crise porque fez o dever de casa: manteve as finanças em dia. Foto: Agência Alagoas

Alagoas é um dos nove Estados brasileiros que conseguiram manter as contas sob controle e ainda promover investimentos, mesmo diante da maior crise econômica e recessiva da história recente do País. É o que aponta o estudo Ranking de Competitividade dos Estados idealizado e produzido pelo Centro de Liderança Pública (CLP), em parceria com a Tendências Consultoria Integrada.

No quesito Solidez Fiscal, Alagoas teve o seu melhor desempenho: saltou da 23ª posição para ocupar o 2º lugar no ranking nacional, atrás apenas do Ceará. Para o governador Renan Filho, o Estado avança em competitividade em meio à crise porque fez o dever de casa: manteve as finanças em dia.

“Não dá para avançar nas outras áreas se você não estiver sólido fiscalmente. Aqui em Alagoas, portanto, nós temos as condições de avançar mais no futuro, justamente porque temos as finanças equilibradas, o Estado de cabeça erguida, enfrentando a crise com dedicação e trabalho”, avaliou o governador Renan Filho.

Conforme a edição de 2017 do Ranking de Competitividade dos Estados, apenas nove unidades da Federação – Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Ceará, Paraíba, Alagoas, Acre e Rondônia, além do Distrito Federal – tiveram um desempenho melhor em comparação a 2016.

No ranking nacional de competitividade, Alagoas deixou o último lugar em 2016 e saltou três posições em 2017, à frente de Sergipe, Amapá e Maranhão. Entre os Estados nordestinos também deixou a incômoda última colocação para ocupar a 7ª.

O estudo é o mais completo do gênero no País e avalia, anualmente, desde 2011, a performance dos 26 Estados e do Distrito Federal em dez pilares: capital humano, educação, eficiência da máquina pública, infraestrutura, inovação, potencial de mercado, segurança pública, solidez fiscal, sustentabilidade ambiental e sustentabilidade social.

“Segundo lugar no Brasil em solidez fiscal é uma grande marca, porque, nesse momento de crise que o Brasil vive, uma das principais referências é você estar sólido fiscalmente. Alagoas na crise está sólido. O que isso significa? Significa salário em dia, a garantia do aumento salarial, o poder de promover novos concursos, fazer investimentos em saúde, educação, segurança, em infraestrutura”, acrescentou Renan Filho.

Os pilares da pesquisa são compostos por 66 indicadores apurados por instituições de referência, como o IBGE, o Ipea (Instituto de Planejamento de Economia Aplicada, ligado ao Ministério do Planejamento) e a Secretaria do Tesouro Nacional.

“Alagoas não só cresceu como vai crescer mais nos próximos anos. Nós avançamos em Segurança Pública, em gestão fiscal, dando exemplo ao Brasil, de maneira que essas duas áreas são muito importantes para o nosso Estado, porque Alagoas sempre foi um Estado sem a devida condição econômica e financeira para fazer investimento e agora tem. Com condições de fazer investimentos, as outras áreas também melhoram”, concluiu o governador de Alagoas.

Agência Alagoas

 

1 Comentário

  1. SERVIDOR DA SAUDE disse:

    cade a mudança de letra do pessoal da carreira de apoio a saúde da SESAU, desde 2013 que essa categoria não tem reajuste, GOVERNADOR AJUDE O PESSOAL DA SAÚDE TAM ESQUECIDO PELO GOVERNO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marechal Notícias