Madereira Portal
Auto Peças

Governo anuncia injeção de R$ 16 mi na PM para combater crise

Governador anuncia série de medidas para evitar crise

Governador anuncia série de medidas para evitar crise

Para tentar apaziguar as constantes cobranças dos batalhões da Polícia Militar, o Governo do Estado anunciou, na manhã desta quinta-feira (26), um investimento de R$16 milhões em infraestrutura, equipamentos e alimentação para os militares, no intuito de evitar maior crise na Segurança Pública.

O anuncio foi realizado no Centro de Convenções Ruth Cardoso, no Jaraguá momentos antes do governador Teotonio Vilela se reunir com membros da Polícia Militar, onde serão discutidas as questões salariais.

“São investimentos na Polícia Militar e no Corpo de Bombeiros como nunca antes aconteceu na história de Alagoas, sem contar a folha de pagamento de R$ 50 milhões”, diz o governador.

O investimento em equipamentos, aquisição de novas viaturas e estrutura para os batalhões são de caráter emergencial e já devem entrar em execução a partir de janeiro de 2014. Todo o dinheiro é oriundo de recursos próprios obtidos através de financiamentos. “Para conseguir investir precisei fazer cortes de custeio em outras áreas como foi o custo da estrada entre Penedo e Piranhas, intitulada de ‘Caminhos do Imperador’, tive que abrir mão dela”, diz Teotonio.

Teotonio espera com isso evitar qualquer possibilidade de greve por parte dos órgãos. As negociações salariais iniciam às 15h no Palácio República dos Palmares, no Centro.

Cursos de pilotagem e novas viaturas

Um dos problemas mais reivindicados pelos militares é a contemplação de um curso para direção defensiva. De acordo com as associações militares, apenas 15 % dos policiais possuem autorização para dirigir as viaturas. De acordo com o novo decreto divulgado na manhã de hoje, todos os militares devem realizar o curso junto ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AL).

Além de anunciar o curso de direção defensiva, o governo pretende ainda renovar a frota do Estado composta por 169 viaturas a partir de janeiro. “Serão 34 caminhonetes no valor de R$ 4 milhões e 6 viaturas para o Corpo de Bombeiros no valor de R$ 1,6 milhões”, diz Vilela.

Alimentação, armas e alojamento

Outra medida adotada por Vilela autoriza o pagamento imediato e individualizado para todos os militares no valor total de R$ 865 mil para alimentação. Os policiais já podem contar com esse dinheiro depositado em conta a partir de janeiro, onde também irão contar com verba específica para aquisição de dois fardamentos no valor total de R$ 239 mil. Os recém convocados no último concurso da Polícia Militar também irão gozar desse direito.

Novas pistolas, cerca de 1 mil serão adquiridas no valor de R$ 2,8 milhões e 1.300 novos coletes, 100 novas espingardas e 30 metralhadoras.

Não há também um anúncio para novos concursos públicos. “Não iremos realizar novos concursos pois a prioridade é para a Educação, mas 800 homens da reserva técnica serão acionados”, diz Vilela.

Nessa mesma medida os quartéis também serão beneficiados com reparos diversos entre pinturas e criação de alojamentos no valor de R$350 mil.

Outros cinco novos quartéis foram anunciados, três em Maceió nos bairros do Tabuleiro, Jacarecica e Benedito Bentes e dois no interior nas cidades de Atalaia e Novo Lino. A ideia do governo é de também estender o serviço das bases comunitárias, onde 30 novas bases sendo 11 em Maceió e 19 no interior serão criadas.

Força Nacional e Exército nas ruas

Em relação à possibilidade da presença do Exército nas ruas da cidade, caso os militares não cheguem a um acordo, o governador foi enfático e disse não haver essa possibilidade. “Confio muito de que não será necessário à presença deles”, assegura Vilela que ressalta as medidas adotadas para evitar possíveis “aquartelamentos”.

Além do Exército, o Governo do Estado espera ainda contar com mais homens da Força Nacional. Esse foi o resultado da reunião com o Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, onde cerca de 50 homens devem reforça a segurança em Alagoas. A meta do governo é restabelecer os 300 militares que Alagoas tinha a disposição durante os primeiros meses do Programa Brasil Mais Seguro.

Fonte: Alagoas 24 Horas

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marechal Notícias