Nequinho Madeiras e Construção
Madereira Portal
Auto Peças

Sem IPCA de 2015, militares projetam Operação Padrão para o fim de agosto

Governo de Alagoas rebate dizendo que aplicação da reposição salarial só deve ser aplicada se Estado tiver condições

Militares vão se reunir em assembleia para discutir operação

FOTO: DIVULGAÇÃO

Sem a aplicação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2015, que gira em torno de 10,7%, os militares do estado de Alagoas projetam, para o final deste mês de agosto, a deflagração da “Operação Padrão” em todas as unidades militares da corporação. Eles se queixam que, apesar das diversas cobranças e tentativas de se buscar uma resposta, não têm tido do governo “nada satisfatório”.

Eles se reúnem em assembleia-geral, no dia 29 de agosto, na sede da Associação dos Subtenentes e Sargentos Militares de Alagoas (Assmal), no bairro de Ponta Grossa.

De acordo com o presidente da Associação de Cabos e Soldados Militares do Estado de Alagoas (ACS), cabo Wellington Silva, os policiais estão cobrando uma reposição inflacionária que têm direito desde o ano de 2015. Ele destacou que, desde o mês de novembro, vem intensificado a tentativa de se encontrar uma saída junto ao secretariado do governo Renan Filho, mas até agora não teve sucesso.

O militar acredita que o único caminho que sobrou, após as iniciativas, é deflagrar a “Operação Padrão” nos batalhões.

“A gente tem tentado buscar uma saída, mas o outro lado [governo] não mostra qualquer resposta. Como todos sabem, a nossa legislação prevê o reajuste todos os anos, o que não aconteceu em 2015. Vamos cobrar o que é de direito, levando para essa assembleia no final de agosto a proposta de ‘Operação Padrão’. A realidade que estamos passando será discutida com toda a classe. Havendo uma mudança de cenário, tudo pode acontecer”, frisou. Nas redes sociais, os militares defendem a operação.

Militares projetam Operação Padrão no final de agosto

FOTO: REPRODUÇÃO

A “Operação Padrão” significa que os militares só iniciarão os serviços se tudo estiver dentro do que preconiza a lei: com todos os equipamentos de trabalhos regularizados e as viaturas com a manutenção em dia, por exemplo. Em 2015, os militares deflagram uma situação parecida, deixando os alagoanas apreensivos, sobretudo após boatos de arrastões e assaltos.

VERSÃO DO ESTADO

Por meio de nota, a Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio (Seplag) esclareceu que a mesa de negociação continua sendo o canal de diálogo com os servidores públicos estaduais.

“O Governo de Alagoas está aberto para receber e conversar com todas as categorias de servidores, colocando-se à disposição para ouvir e debater todas as demandas salariais dos policiais militares, assim como das demais categorias que compõem o funcionalismo do Estado. É importante ressaltar ainda que os policiais militares, assim como os demais servidores do Executivo alagoano, receberam o reajuste salarial de 6,29%, anunciado recentemente pelo Governo do Estado”.

Por, fim a Seplag reforçou ainda que, apesar do IPCA não ser obrigatório, porque só deve ser implantado se o Estado tiver condições de oferecer, o Governo está recebendo os servidores e conversando para analisar questão.

Gazetaweb

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marechal Notícias