Madereira Portal
Auto Peças

Cozinheiro alagoano é assassinado a tiros por PMs em São Paulo

Família de alagoano busca apoio para traslado do corpo (Foto: Divulgação)

A família do cozinheiro Everton de Andrade Silva, assassinado a tiros na porta de casa, na frente da filha de 4 anos, na última terça-feira, no Jardim Glória, em São Paulo, só tem até hoje para tentar trazer o corpo dele para ser sepultado em Maceió.

O problema é que os familiares não dispõem da quantia de R$ 4.700 necessária para fazer o traslado do corpo. Caso não consigam, Everton deve ser sepultado mesmo em São Paulo, onde morava há quase dois anos com a mulher e duas filhas pequenas.

“Nós queremos pelo menos vê-lo pela última vez, nos despedir dele”, disse emocionada Concília Maria Vieira de Andrade, mãe de Everton.

A família está chocada com o crime e clama por Justiça. Segundo informações de vizinhos de Everton, ele foi morto por supostos policiais militares que estavam à paisana e procuravam por drogas no local. Testemunhas teriam reconhecido os PMs que fazem ronda na região.

No fim da tarde da última terça-feira, Everton de Andrade Silva se preparava para mais um dia de trabalho no restaurante de luxo onde estava empregado havia 8 meses. Começou lavando pratos, mas em pouco tempo alcançara o posto de garçom.

Estava feliz. Com o dinheiro que ganhava, comprou móveis para a pequena casa onde morava e já pensava em investir em um terreno.

Na tarde da terça-feira passada, antes de ir trabalhar, sentou-se ao lado da filha, na porta de casa. Foi quando os supostos policiais chegaram. Segundo relato de testemunhas, Everton foi abordado pelo grupo, que queria saber onde havia drogas. O alagoano ainda mostrou a carteira de trabalho devidamente assinada. “Sou trabalhador”, teria dito Everton.

“Nesse momento, um rapaz de lá, que já foi preso por tráfico de drogas, correu para perto do Everton. Esses policiais executaram ele na frente do meu irmão. Na minha opinião, meu irmão morreu porque presenciou esse crime”, disse Eduardo de Andrade, irmão da vítima.

Fonte: Gazeta Web

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marechal Notícias