Madereira Portal
Auto Peças

23 de agosto; 120 anos da morte do Marechal Deodoro da Fonseca

Casa onde nasceu o Marechal Deodoro. (foto: André MN)

No dia de hoje, 23 de agosto de 2012, a antiga capital alagoana relembra os 120 anos da morte de seu filho mais ilustre, Manuel Deodoro da Fonseca (1827-1892), o Marechal Deodoro.

Filho de Manuel Mendes da Fonseca (1785 – 1859) e Rosa Maria Paulina da Fonseca (1802 – 1873). Seu pai também foi militar, chegando à patente de tenente-coronel, e pertencia ao Partido Conservador. Deodoro tinha duas irmãs e sete irmãos, três dos quais morreram na Guerra do Paraguai: Afonso Aurélio da Fonseca (o mais jovem), alferes do 34º batalhão dos Voluntários da Pátria, o capitão Hipólito Mendes da Fonseca, morto na batalha de Curupaiti, e o major Eduardo Emiliano da Fonseca, morto no combate da ponte de Itororó.

Busto do Marechal Deodoro (foto: André MN)

 Carreira militar

Em 1852, foi promovido a primeiro-tenente. Em 24 de dezembro de 1856, recebeu a patente de Capitão. Em dezembro de 1864, participou do cerco à Montevidéu, durante a intervenção militar brasileira contra o governo de Atanasio Aguirre no Uruguai. Pouco depois, o Uruguai, sob novo governo, mais o Brasil e a Argentina formariam a Tríplice Aliança, contra a ofensiva do ditador paraguaio Francisco Solano López.

Em junho de 1865, rumou com o Exército brasileiro para o Paraguai, que havia invadido a província de Mato Grosso. Deodoro comandava o segundo Batalhão de Voluntários da Pátria. Seu desempenho no combate lhe garantiu menção especial na ordem do dia 25 de agosto de 1865. No ano seguinte, recebeu comenda no grau de cavaleiro da Imperial Ordem do Cruzeiro e, em 22 de agosto, a patente de major.

Em 18 de janeiro de 1868 foi promovido a tenente-coronel, por atos de bravura. Também por atos de bravura, recebeu a patente de Coronel, em 11 de dezembro do mesmo ano. Pelo decreto de 14 de outubro de 1874, Deodoro foi promovido a brigadeiro, patente equivalente ao atual general-de-brigada. Em 1885, tornou-se pela segunda vez comandante d’armas da província do Rio Grande do Sul, cargo exercido juntamente com o de vice-presidente da província. Tornar-se-ia, depois, presidente interino dessa mesma província. Em 30 de agosto de 1887, recebia a patente de marechal-de-campo.

Pelo seu envolvimento na “Questão Militar” – confronto das classes armadas com o governo civil do Império – Deodoro foi chamado de volta ao Rio de Janeiro. Na verdade, o Marechal Deodoro havia permitido que a oficialidade da guarnição de Porto Alegre se manifestasse politicamente, o que era proibido pelo governo imperial. Chegando ao Rio, Deodoro foi festivamente recebido por seus colegas e pelos alunos da Escola Militar. Foi, então, eleito primeiro presidente do Clube Militar, entidade que ajudara a constituir.

Em 1888 Deodoro foi nomeado para o comando militar do Mato Grosso. Permaneceu no posto somente até meados de 1889, quando voltou para o Rio de Janeiro.

O principal feito de Deodoro foi a Proclamação da República Brasileira no dia 15 de novembro de 1889. No exército alcançou o posto de Generalíssimo.

Depois da presidência

Manuel Deodoro da Fonseca faleceu no Rio de Janeiro, em agosto de 1892. Pediu para ser enterrado em trajes civis, no que não foi atendido. Seu enterro teve toda a pompa e honras militares. O marechal que proclamou a república no Brasil, cujo fato histórico é hoje feriado nacional, era acometido de uma forte crise de dispneia, popularmente conhecida como “dificuldade de respiração” ou “falta de ar”, o que impedia o primeiro presidente do Brasil de dormir.
Foi enterrado num jazigo familiar no Cemitério do Caju, mas teve seus restos exumados e transferidos para um monumento na Praça Paris, no Rio de Janeiro, em 1937.

Fonte: MN com wikipedia

2 Comentários

  1. antonio cabral disse:

    DEODORO TRAIU O IMPERIO, SEU SALARIO HERA 2 VEVEZ MAIOR DO QUE DO IMPERADOR,IMPLANTOU UMA DITADURA COM FLORIANO PEIXOTO E OUTROS TIROU A LIBERDADE DE IMPRESSA NÃO OUVIRAM O POVO QUE QUERIA A MONARQUIA DE VOLTA, GOVERNOU APENAS 2 ANOS FORAM POUCOS PRESIDENTES ESCOLHIDOS PELO POVO DE VOLTA COM A MONARQUIA.FORA CORRUPTOS.

  2. antonio cabral disse:

    DEODORO TRAIU O IMPERIO, SEU SALARIO HERA 2 VEVEZ MAIOR DO QUE DO IMPERADOR,IMPLANTOU UMA DITADURA COM FLORIANO PEIXOTO E OUTROS TIROU A LIBERDADE DE IMPRESSA NÃO OUVIRAM O POVO QUE QUERIA A MONARQUIA DE VOLTA, GOVERNOU APENAS 2 ANOS FORAM POUCOS PRESIDENTES ESCOLHIDOS PELO POVO DE VOLTA COM A MONARQUIA.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marechal Notícias