Madereira Portal
Auto Peças

Romeiros deodorenses partem em caravana para Juazeiro

Romeiros partiram da orla lagunar com destino ao Juazeiro. Foto: André Marechal

Uma caravana de cerca de 20 ônibus partiu por volta das 18:00 horas desta segunda-feira (10), com destino a Juazeiro do Norte no estado do Ceará.

Os romeiros se reuniram na orla lagunar da cidade de Marechal Deodoro de onde saíram acompanhados por agentes da SMTT e guardas municipais.

A viagem faz parte da tradição nordestina e os devotos visitam o lugar onde, de acordo com a história, o “santo padre” realizou milagres.

Um pouco da história do Padre Cícero

Cícero Romão Batista (Crato, 24 de março de 1844 — Juazeiro do Norte, 20 de julho de 1934) foi um sacerdote católico brasileiro. Na devoção popular, é conhecido como Padre Cícero ou Padim Ciço. Carismático, obteve grande prestígio e influência sobre a vida social, política e religiosa do Ceará bem como do Nordeste.

Suposto milagre

No ano de 1889, durante uma missa celebrada pelo padre Cícero, a hóstia ministrada pelo sacerdote à religiosa Maria de Araújo se transformou em sangue na boca da religiosa. Segundo relatos, tal fenômeno se repetiu diversas vezes durante cerca de dois anos. Rapidamente espalhou-se a notícia de que acontecera um milagre em Juazeiro.

A pedido de padre Cícero a diocese formou uma comissão de padres e profissionais da área da saúde para investigar o suposto milagre. A comissão tinha como presidente o padre Clycério da Costa e como secretário o padre Francisco Ferreira Antero, contava, ainda, com a participação dos médicos Marcos Rodrigues Madeira e Ildefonso Correia Lima, além do farmacêutico Joaquim Secundo Chaves. Em 13 de outubro de 1891, a comissão encerrou as pesquisas e chegou à conclusão de que não havia explicação natural para os fatos ocorridos, sendo portanto um milagre.

Insatisfeito com o parecer da comissão, o bispo Dom Joaquim José Vieira nomeou uma nova comissão para investigar o caso, tendo como presidente o padre Alexandrino de Alencar e como secretário o padre Manoel Cândido. A segunda comissão concluiu que não houve milagre, mas sim um embuste.

Dom Joaquim se posicionou favorável ao segundo parecer e, com base nele, suspendeu as ordens sacerdotais de padre Cícero e determinou que Maria de Araújo, que viria a morrer em 1914, fosse enclausurada.

Em 1898, padre Cícero foi a Roma, onde se reuniu com o Papa Leão XIII e com membros da Congregação do Santo Ofício, conseguindo sua absolvição. No entanto, ao retornar a Juazeiro, a decisão do Vaticano foi revista e padre Cícero teria sido excomungado, porém, estudos realizados décadas depois pelo bispo Dom Fernando Panico sugerem que a excomunhão não chegou a ser aplicada de fato.

Atualmente, Dom Fernando conduz o processo de reabilitação do padre Cícero junto ao Vaticano.
Em 1977, foi canonizado pela Igreja Católica Apostólica Brasileira (diferente da Igreja Católica Apostólica Romana).

Fonte: MN com wikipédia

 

1 Comentário

  1. ANA RUBIA disse:

    QUERIA MUITO TER INDO AO JUACEIRO MINHA SEMPRE VAI E NESTA MAIS UM VEZ ELA FOI COM MINHA SOBRINHA MAE MARIA ANTONIA E SOBRINHA ERIANE JISSELI ……MAIS QUI PENA QUI ESTOU EM SÃO PAULO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marechal Notícias