Madereira Portal
Auto Peças

Serial killer mata e pendura corpos de cães em árvores

204201311424untitled

Um serial killer de animais está cometendo crimes hediondos em uma cidade indiana chamada Ghaziabad. Segundo o Daily Mail, alguém tem matado e mutilado animais, e colocado as partes de seus corpos à beira de uma estrada.

Várias carcaças de cão foram vistas penduradas em árvores ao longo da Rodovia NH-24 próximo a Indirapuran, na semana passada, criando pânico entre moradores da região.

De acordo com a reportagem, a polícia e as autoridades parecem não estar se importando muito com o assunto.

“Eu vi uma carcaça de cão pendurada em uma árvore quase todos os dias na última semana. Duas vezes, eu vi corpos pendurados pelos membros; outras vezes, estavam pendurados pelo pescoço”, disse Mahesh Sharma, morador de Indirapuran. Os moradores foram à delegacia para prestar queixa, mas esta se recusou a registrar a ocorrência.

Um oficial de segurança da região, contudo, disse que não tinha conhecimento do caso.

Maneka Gandhi, parlamentar indiana e ativista de direitos animais, expressou seu choque a respeito das mortes dos cães e pede a prisão do assassino.

“A polícia deve investigar o caso e prender o responsável. Nós iremos acompanhar a investigação junto às autoridades”, disse ela.

Outra moradora de Indirapuram, Ratna Pathak, comentou sobre o risco de ter um serial killer na região pois, segundo ela, se hoje a pessoa está matando cães, amanhã poderá estar matando humanos. Ela também endossa a afirmação de que procuraram ajuda mas a polícia negou.

Autoridades civis também foram negligentes. “Não estou sabendo dessa questão”, foi a resposta do Dr RK Yadav, que atua no Departamento de Saúde Pública de Ghaziabad.

De acordo com a lei, quem comete crueldade contra um animal pode ser fichado nos termos do Código Penal Indiano (IPC).

“A ofensa não-cognoscível sob a seção 429 do IPC pode ser registrada contra uma pessoa que matar ou causar danos a um animal. Se considerada culpada, a pessoa pode ser punida com pena de até cinco anos”, disse um policial.

Poorva Joshipura, CEO do Peta na Índia, em entrevista ao Mail OnLine, citou a Lei de Prevenção à Crueldade contra Animais de 1960, e ressaltou que é dever da polícia encontrar o culpado (ou culpados) por cometer esses atos hediondos, covardes e cruéis. Ela também falou sobre a relação entre matar animais não humanos e humanos, quando fez a declaração: “Crueldade contra os animais devem ser tomadas de uma forma séria. Se uma pessoa está matando um animal hoje, há uma possibilidade dele vir a matar seres humanos também”.

Nota da Redação: Por mais que seja verdadeiro que um serial killer de animais tenha o potencial de vir a matar pessoas, tendência já cientificamente comprovada, devemos analisar este caso como uma situação de crime cometido contra animais não humanos, e assim ele deve ser tratado.

Um caso horrendo, com ‘requintes de crueldade’, no qual as vítimas são animais não humanos, e quando pessoas dão depoimento de que algo precisa ser feito pois este criminoso pode fazer o mesmo com pessoas, elas podem estar desviando o foco do problema que é, puramente, o de cães sendo assassinados de maneira brutal, motivo mais que suficiente para que o culpado seja punido sumariamente.

Prova de que sociedades humanas ainda tratam crimes contra animais não humanos com negligência é o exemplo das autoridades indianas, que demonstraram pouco caso com relação ao assunto.

A humanidade já deveria ter chegado a um estágio em que um crime cometido contra animais não humanos na Índia ou nos Estados Unidos ou no Brasil – enfim, onde quer que seja, fosse considerado um caso de comoção e mobilização de justiça mundial, e não local, como hoje é tratado qualquer caso hediondo de desrespeito a direitos humanos. Mas, infelizmente, parece que ainda estamos muito, mas muito longe disso.

Fonte: Maceió Agora

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marechal Notícias