Madereira Portal
Auto Peças

Jurandir Bóia é confirmado pelo PDT; petista Ronaldo Medeiros será o vice

Lessa, ao lado de seu substituto, Jurandir Bóia, e do vice, Ronaldo Medeiros

O médico e ex-deputado federal Jurandir Bóia (PDT) foi confirmado nesta sexta-feira (5) como substituto do ex-governador Ronaldo Lessa (PDT) na chapa que disputa a prefeitura de Maceió.

Lessa teve se registro de candidatura indeferido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na quinta-feira (4) e, nesta sexta, seu vice, o Mosart Amaral (PMDB) também decidiu não mais participar da disputa.

O vice na chapa de Bóia foi indicado pelo PT. O nome escolhido foi o do deputado estadual Ronaldo Medeiros. Devido à proximidade do pleito, o nome e a foto nas urnas eletrônicas continuarão sendo do ex-governador Ronaldo Lessa.

“Culpa da Justiça”

Um débito fiscal no valor de R$ 21.282, que não foi pago dentro do prazo estabelecido, acarretou o indeferimento da candidatura de Ronaldo Lessa à Prefeitura de Maceió.

A culpa, neste caso, não foi de sua coligação, mas da Justiça. Esse pelo menos foi o entendimento do pedetista ao se reportar a como o seu recurso foi tratado pelo TRE/AL e, na quinta-feira, pelo TSE.

“Essa situação que estou passando foi provocada pela Justiça de Alagoas e do Brasil. O Judiciário tomou conta das eleições. A presidente do TSE chegou a declarar que irá analisar os recursos dos eleitos após as eleições. A Justiça tenta arbitrariamente em pleno estado de direito a manipular e fazer mais política do que os políticos. Apesar disso eu achei que a Justiça alagoana havia melhorado após decisão de 4 a 3, por causa dos votos divergentes”, frisou Ronaldo.

O então candidato fez nova alusão à decisão dos ministros, o que ele considerou como uma “aberração” e um “ato a se lamentar”, porém, o pedetista diz que continuará lutando.

“Vamos continuar lutando pelo voto limpo e também iremos levantar a bandeira pela Justiça limpa neste país. Ainda por cima o TSE faz campanhas equivocadas sobre a ficha suja. Ora, o meu recurso que estava há 36 dias no TSE sequer entrou em pauta. O processo de São Luiz do Quitunde foi julgado celeremente”, culpou Ronaldo.

Fonte: Tribuna Hoje

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marechal Notícias