Madereira Portal
Auto Peças
Cia das Bebidas
15-09-2018 às 17:09

‘Pedia pelo amor de Deus para ele não fazer aquilo’, conta paciente que denunciou abuso no HU

Paciente relata abuso sofrido dentro de hospital | Reprodução / TV Pajuçara

“Eu pedia pelo amor de Deus para ele não fazer aquilo”. É com a voz embargada que a mulher de 49 anos relata o momento em que teria sido abusada sexualmente por um funcionário do Hospital Universitário (HU) de Maceió.

Sem se identificar, ela aceitou falar com a reportagem da TV Pajuçara sobre como foi abordada pelo técnico em raio-X, e a suspresa que teve em reencontrá-lo no hospital, dias depois, quando esteve lá para uma consulta.

De acordo com a vítima, ela está prestes a realizar uma cirurgia e precisava de exames de imagem da região do tórax. Ao chegar à sala onde fez o raio-X, no início do mês de setembro, ela conta que o técnico pediu para que ela tirasse o vestido e passou a mão em suas costas, por dentro da roupa.

Em seguida, já com a bata, ela teria sido tocada novamente. “O meu vestido é aberto atrás e ele passou a mão nas minhas costas. Já vi que aquilo não era normal, já fiquei cismada. Eu coloquei a bata com a abertura para trás, e ele passou a mão de novo nas minhas costas”, lembra.

Após o exame, já vestida, a vítima diz que o técnico pediu para que ela entrasse em uma sala onde ficam as telas dos exames e já a agarrou e a beijou. Em seguida, colocou o pênis para fora da calça e pediu à mulher que o masturbasse. “Ele me disse ‘volte pra salinha’. Pensei que era exatamente pra ver o raio-X. Ele de repente pegou no meu rosto, deu um beijo demorado e depois mais dois. Eu disse não faça isso, não faça isso. Ele desceu o zíper da calça, colocou o pênis pra fora, pegou minha mão esquerda e fez com que eu pegasse e o masturbasse. Eu pedia pelo amor de Deus que ele não fizesse isso”.

O funcionário ainda teria intimidado a paciente ao dizer que as portas estavam trancadas. “Fiquei em pânico. Ele viu que não ia conseguir nada e pediu pra eu me sentar numa cadeira, pediu para eu fazer sexo oral. Depois ele foi ao banheiro e disse que ia terminar o que começou, foi quando consegui abrir a porta e saí correndo”, relembra, com nervosismo.

Denúncia à polícia

A Delegacia da Mulher foi o primeiro lugar onde a vítima procurou ajuda. Ela também levou o caso à direção do HU e à ouvidoria do hospital, e conta que relatou os fatos por áudio e por escrito.

No último dia 13, no entanto, a mulher tomou um susto ao reencontrar o funcionário. “Precisei voltar lá para uma consulta, quando me deparo com ele. Não sei como pode uma coisa dessas. Eu não posso mostrar minha cara, mas ele continua lá trabalhando normal, como se nada tivesse acontecido”, desabafa.

“Quero justiça. E se tiver outra pessoa que foi vítima desse monstro denuncie também, faça como eu, não esconda”, encoraja.

O caso virou inquérito policial e a Delegacia da Mulher vai indiciar o técnico por estupro. Ele nega as acusações.

O Hospital Universitário informou por meio de nota que tomou conhecimento, por meio da Ouvidoria, da denúncia de assédio, e disse que está executando todas as providências cabíveis, com objetivo de apurar e esclarecer o fato.

Assista à reportagem completa:

Fonte: TNH

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marechal Notícias