Madereira Portal
Auto Peças

Alagoana de 87 anos procura filhas que não vê há 50 anos

Fotografia de Dona Maria Vieira de Souza antes de sair de Maceió

Fotografia de Dona Maria Vieira de Souza antes de sair de Maceió

No auge dos seus 87 anos, a alagoana Maria Vieira de Souza, afirma que só irá descansar quando reencontrar as filhas de quem se separou há 50 anos. Essa é a história de uma mulher que viveu até os 37 anos com a família, em Maceió e decidiu tentar a sorte no Rio de Janeiro. Ao viajar, ela deixou as três filhas: Maria José Vieira Martins, Cristina Vieira Martins e Ribelita Vieira Martins. O problema é que após mudar do Rio de Janeiro para a cidade de Petrópolis, ela perdeu o contato com a família.

Desde então, a mulher vive sem sossego, conforme revelou o jornalista carioca Carlos Alberto Gonçalves que procurou o Alagoas24Horas para tentar localizar a família de Dona Maria aqui em Alagoas. Por telefone, Maria Vieira, que era conhecida como ‘Morena’, disse que morava na região entre Farol e o Reginaldo e que as pessoas mais próximas, além das filhas, eram os irmãos Luiz Vieira de Souza, Cícera Vieira de Souza e Olívia Vieira de Souza, além do cunhado João Vieira de Souza, que era cabo reformado da Polícia Militar.

A história de Dona Maria foi enviada até para o Programa Caldeirão do Huck, da Rede Globo, já que as buscas são difíceis à distância e Dona Maria está com idade avançada. Durante a entrevista para o Alagoas24Horas, ela destacou que é filha de Lopoziano Vieira de Souza e Maria da Conceição Vieira de Souza e que não há um só dia em que não pensei em sua família.

O desespero da anciã em reencontrar a família é o mesmo da filha Marlene, com quem mora. Para ela, a tristeza e ansiedade da mãe estão mobilizando familiares e amigos. Marlene e o irmão Jorge são filhos de um segundo casamento de Dona Maria no Rio de Janeiro.

Quem tiver informações sobre os familiares de Maria Vieira de Souza, 87 anos, pode entrar em contato com o site ou direto com Marlene (24) 99842-7131.

Fonte: AL24hs

1 Comentário

  1. Ana Nery Souza disse:

    Boa noite, acho que essa senhora é minha vó, a historia é igual a que a minha mãe conta, Estou muito feliz em sabe q ela nos procura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marechal Notícias