Madereira Portal
Auto Peças

Entrega de maconha em domicílio é prática comum em bairros de Maceió

Delegado Jobson Cabral acredita que em breve apresentará outros envolvidos na nova modalidade de tráfico

A prisão de Rodrigo Rocha de Lima, 23 anos, e Victor Aminadabe Nascimen­to de Lima, 29 anos, por militares da Radiopatru­lha na quinta-feira, no bairro da Pitanguinha, denunciou uma nova modalidade de tráfico de drogas.

Segundo denúncias colhidas pela Polícia Militar e confirmadas pela Polícia Civil, eles entregavam maconha em domicílio para os ‘clientes’, o que, segundo o delegado Jobson Cabral, da Delegacia de Repressão ao Narcotráfico, é prática comum na região.

A dupla foi abor­dada na rua, em uma motocicleta, e após ser revistada pelos policiais foi conduzida a uma casa no bairro, onde guardava um quilo de maconha embalado.

De acordo com o tenente­-coronel Jairison Correia, co­mandante da Radiopatrulha, denúncias anônimas informa­ram que a droga estava pre­vista para ser distribuída para os compradores, em domicílio.

Segundo o delegado, os dois presos não são os únicos a fazerem o serviço de ‘entrega’ de maco­nha na região. Em breve, ele acredita que irá apresentar alguns acusados na prática.

Cabral diz andar otimista com as apreensões, e acrescenta que os traficantes estão fu­gindo do território maceioen­se por medo. “Eles estão com medo. Estão vendo que a po­lícia está sendo impecável em seu trabalho, pois está haven­do comunicação maior da Po­lícia Civil com a Polícia Mili­tar. Aguardem, daqui a uns 15 dias teremos novidades”, diz.

Defesa

Os acusados informaram durante a abordagem que a maconha seria para consumo próprio. Rodrigo alegou ser músico e Victor capoeirista.

Mas a declaração de am­bos não satisfez o comandan­te da guarnição da Radiopatrulha. “Ninguém tem um quilo de maconha para consumo pró­prio. É muita droga e é lógi­co que isso configura tráfico”, ressalta Correia.

O delegado Jobson Cabral ainda comemorou a confiança que a população está deposi­tando no trabalho das polí­cias, realizando denúncias de procedência. “Se fizerem dez denúncias, pode ter certeza que nove procedem”, disse.

Fonte: Tribuna Hoje

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marechal Notícias