Madereira Portal
Auto Peças

Começa neste sábado a campanha de ‘multivacinação’

Em todo o país, cerca de 34 mil postos de vacinação devem ficar abertos durante o período da campanha

O Ministério da Saúde dará início em todo Brasil neste sábado, dia 18, uma campanha de vacinação para crianças de até cinco anos. O objetivo do governo é vacinar crianças de até cinco anos que – por algum motivo – perderam alguma campanha de imunização. A campanha deve durar até a próxima sexta-feira, dia 24.

Em todo o país, cerca de 34 mil postos de vacinação devem ficar abertos durante o período da campanha com profissionais aptos à realizar a vacinação.

Além das doses separadas para crianças que perderam o prazo, o governo traz como novidade a vacina pentavalente (contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B, meningite e outras doenças bacterianas) antes disponíveis em duas distintas vacinas divididas em tetravalente e hepatite B. A outra novidade é a vacina inativada contra poliomielite (VIP), que não conterá mais o vírus “vivo” e passará a ser aplicada por meio de injeção.

Além delas, o calendário básico inclui as vacinas BCG, hepatite B, vacina oral poliomielite (VOP), rotavírus, pneumocócica 10 valente, meningocócica C conjugada, febre amarela, tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba) e DTP (difteria, tétano e coqueluche).

Em Alagoas a abertura oficial da campanha acontecerá às 8h30 deste sábado (18), no Posto de Saúde do Conjunto Medeiros Neto, em Maceió e irá contar com a presença do personagem Zé Gotinha.

Ainda no sábado (18), às 13 horas, o personagem Zé Gotinha estará em São José da Laje e no dia 20 em Santa Luzia do Norte. No dia 21, às 8h, ele irá visitar o município de Mar Vermelho, e no dia 22, às 9 horas, será a vez do município de Viçosa. No dia 23, Zé Gotinha estará em Jequiá da Praia e, no dia 24, o personagem estará em São José da Tapera.

Primeiro x segundo semestre

O ministro Alexandre Padilha explicou na última terça que o calendário nacional de vacinação contra a pólio se dividirá em dois, com estratégias diferentes para o primeiro semestre e para o segundo.

Nos primeiros meses do ano, o foco será a vacinação oral contra a pólio. No segundo semestre, em vez de ser aplicada uma segunda gotinha, o governo pretende atualizar o calendário vacinal. A meta será checar se a caderneta das crianças está ou não em dia.

VIP

A Vacina Inativada Poliomielite (VIP) se destinará a bebês de 2 e 4 meses de idade, e as famosas gotinhas serão usadas nos reforços, aos 6 e aos 15 meses. Mesmo quem já tiver se imunizado, mas ainda estiver dentro da faixa até 5 anos, deve comparecer à rede pública acompanhado dos pais ou responsáveis. Durante as campanhas nacionais, serão ministradas apenas as gotinhas.

Uma das vantagens da injeção é que ela acaba com o risco de uma paralisia infantil causada como consequência da dose oral. Esse efeito colateral, porém, é raro: um caso em cada quatro milhões.

A introdução da VIP vem sendo feita em países que já eliminaram a pólio. A Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS), no entanto, recomenda que as nações da região continuem aplicando as gotinhas, com o vírus atenuado, até a erradicação mundial da paralisia.

O vírus da poliomielite ainda circula em 25 países. Para se manter livre, o Brasil vai usar simultaneamente as duas vacinas (oral e injetável) e aproveitar as vantagens de cada uma.

Ao todo, foram adquiridas mais de oito milhões de doses e, na primeira remessa, serão enviadas 726 mil para abastecer todo o território.

Da pentavalente para a heptavalente

Quanto à nova vacina pentavalente, o ministro ressaltou que o benefício é reduzir o número de picadas nos pequenos, que devem tomar uma dose aos 2 meses, a segunda aos 4 meses e a terceira aos 6 meses.

Além disso, por ser fabricada por meio de uma parceria entre o Instituto Butantan, em São Paulo, e o laboratório Bio-Manguinhos, da Fundação Oswaldo Cruz, no Rio de Janeiro, a dose deve fortalecer a produção nacional.

O ministro informou que o próximo passo é produzir uma vacina heptavalente, um projeto entre Butantan, Bio-Manguinhos e a Fundação Ezequiel Dias (Funed), de Minas Gerais, o que deve levar quatro ou cinco anos.

Vitamina A

Além da campanha nacional de vacinação, com a introdução de duas novas doses no calendário, o Ministério da Saúde anunciou a suplementação nutricional de vitamina A, por via oral, que será feita em crianças entre 6 meses e 5 anos de idade, em 2.434 municípios das regiões Norte, Nordeste e nos vales do Jequitinhonha e do Mucuri, em Minas Gerais.

A ação faz parte do programa federal Brasil Carinhoso, e a meta é reduzir as mortes e internações por doenças infecciosas. Além disso, a vitamina melhora a visão e o desenvolvimento cognitivo.

A gotinha de vitamina A será aplicada no mesmo período de vacinação, que vai deste sábado até sexta, e deve continuar nos postos de saúde depois. A expectativa é atingir 7,8 milhões de crianças nos municípios que já integram o programa Brasil sem Miséria, onde há uma maior concentração de pobreza.

Nas demais regiões do país, a suplementação será feita no decorrer deste segundo semestre, nas Unidades Básicas de Saúde, e deve atingir 3.034 municípios em todos os estados, incluindo 34 distritos indígenas.

Fonte: AL24hs

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marechal Notícias