Madereira Portal
Auto Peças

Sabonete íntimo é essencial para a saúde vaginal? Ou faz mal?

Foto: Reprodução/internet

Foto: Reprodução/internet

Os cuidados com a higiene íntima são determinantes para o controle da flora vaginal e, consequentemente, para a saúde da região. Porém, engana-se quem acha que lavar a região muitas vezes ao dia ou optar constantemente pelo sabonete íntimo é positivo.

“Não existe nenhuma comprovação de que os sabonetes específicos para a região íntima são melhores em comparação àqueles com pouco perfume e pouca cor. Além disso, usá-los demasiadamente pode eliminar a proteção natural da vagina”, explica a ginecologista Bárbara Murayama.

A proteção natural da vagina é formada por gordura, pelos e secreções eliminadas pelas glândulas. Estas características impedem as infecções e o desequilíbrio da flora. “Lavar e depilar em excesso acaba retirando a proteção natural e, consequentemente, facilita infecções”, alerta a médica.

Além disso, a candidíase e a vaginose podem estar relacionadas ao uso do sabonete íntimo ou ao excesso de lavagens. “Como o excesso de lavagem tira a barreira de proteção e altera a flora vaginal o ph pode ficar ácido ou básico, causando a candidíase ou a vaginose” diz Bárbara. Ainda segundo a médica a flora vaginal também é responsável por evitar infecções provenientes do contato com o ambiente.

Como usar sabonete íntimo

Para a ginecologista, usar uma vez por dia é o bastante. “Usar uma vez por dia não é problema. Durante o banho lave a região com o sabonete íntimo e, se houver outros banhos, apenas passe água na região”, orienta a especialista.

É essencial?

“O sabonete íntimo chega o mais perto possível do sabonete ideal, já que tem poucas substâncias que causam alergias, não tem perfume e nem cor. Outros ainda acrescentam vitaminas que melhoram o equilíbrio da flora vaginal”, explica a ginecologista.

Porém, segundo Bárbara, qualquer sabonete com estas características – líquido, sem cor e sem cheiro – pode substituir o produto.

Para escolher a marca ideal, certifique-se que ela é aprovada pela Anvisa. Ou seja, se o produto segue os critérios básicos para ser chamado de íntimo.

Fonte: Bolsa de Mulher

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Marechal Notícias